A VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DO USO DO BAMBU: A UTILIZAÇÃO DO “BAMBUSA VULGARIS” COMO ENTRAMADO NAS CONSTRUÇÕES EM TAIPA

Ano:
2011
Co-orientador:
Aníbal Coelho da Costa
Palavras chave:
Construções sustentáveis; Taipa; Durabilidade ; Bambu;
Resumo:
Este trabalho apresenta um estudo sobre o uso do bambu em construções feitas com a técnica construtiva da taipa, analisando a viabilidade técnica e econômica do uso de materiais alternativos, visando construções mais sustentáveis. No Brasil a espécie de bambu Bambusa vulgaris é facilmente encontrada nas áreas urbana e rural, facilitando a obtenção desta matéria prima de baixo custo. Todavia, este material necessita de maior estudo para ser empregado como material de construção. O bambu foi proposto para substituir o entramado tradicional de madeira da taipa, pois é um material mais abundante e de menor impacto ambiental, tornando a taipa mais sustentável. O uso do bambu na taipa diminui o impacto sobre as florestas de madeiras de espécies nativas, por ser este uma gramínea que pode ser colhido em três anos e, portanto, com tempo menor de renovação quando comparado com a madeira. Foram feitas entrevistas com construtores de casas de taipa com a finalidade de identificação das patologias, vantagens e dificuldades da técnica em relação à durabilidade. Também foram executados corpos de prova para avaliar a viabilidade técnica do uso do bambu Bambusa Vulgaris na taipa, na cidade de Mucugê e na Escola Politécnica em Salvador, Bahia. Foi feita análise do comportamento do bambu dentro da terra quanto à durabilidade, com a comparação de corpos de prova expostos a temperatura e umidade locais. Os custos diretos da produção da taipa de bambu foram comparados aos custos das alvenarias de bloco cerâmico e blocos de concreto. Conclui-se, com as entrevistas, que o reboco contribui para a durabilidade da taipa tanto com entramado de madeira quanto de bambu. Quanto à durabilidade dos corpos de prova executados em Mucugê e Salvador, o bambu verde colocado dentro da terra com reboco não sofreu degradação mostrando a viabilidade do seu uso como entramado na taipa. Na avaliação dos custos diretos dos painéis de taipa de bambu, considerando as composições estudadas, pode-se concluir que os custos diretos de produção de vedações em taipa revestida são menores tanto para a produção das vedações em alvenarias com blocos cerâmicos como para as vedações em bloco de concreto revestidos. Verifica-se que a diferença de custos entre a taipa e as alvenarias é mais significativa quando se adota o regime de mutirão, desprezando- se o custo da mão de obra.