REUSO DE EFLUENTE DOMÉSTICO TRATADO NO CULTIVO HIDROPÔNICO DE CAPIM BUFFEL NO SEMIÁRIDO BAIANO

Ano: 
2012
Orientador: 
Co-orientador: 
Banca Examinadora: 
Resumo: 
Este trabalho analisou o reuso de esgoto doméstico tratado no cultivo da forragem do capim buffel em hidroponia, como alternativa de produção de alimento aos animais em períodos principalmente de extrema seca em Santo Antônio/São Domingos/Bahia. O tratamento do esgoto doméstico foi feito por meio de uma fossa séptica e um filtro anaeróbio. Foram avaliados os seguintes parâmetros no efluente: DBO, DQO, coliformes, pH, CE, sólidos dissolvidos e suspensos, fósforo total, nitrogênio amoniacal, nitrato e nitrito. Na água foram avaliados bicarbonato, carbonato, sódio, cloreto, cálcio e magnésio. A forragem foi cultivada em seis canteiros, sendo dois destes irrigados com água tratada e fertilizantes, com as fibras de coco ou sisal, como meio de substrato e quatro canteiros cultivados com o efluente tratado e fibras de coco ou sisal. Os resultados mostraram a possibilidade do cultivo na região com o reuso de efluente tratado. O tratamento composto pelo efluente tratado e a fibra de coco obteve resultado médio 85 cm de altura da planta e massa de matéria fresca de 2,20 Kg/m². A utilização do efluente tratado possibilita ao produtor cultiva sem a necessidade da compra de fertilizantes. O substrato sisal mostrou-se eficiente quando bem manejado possibilitando o cultivo do capim buffel. Além da alternativa do reuso de efluente tratado na utilização de cultivo agrícola pela técnica hidropônica, o tratamento do esgoto vêm a ser uma ação mitigadora para minimizar a contaminação do Rio Jacuípe pelo esgoto doméstico. Este trabalho demonstrou que os sistemas de conservação e reuso tornar-se partes integrantes da gestão nas regiões semiáridas com baixa disponibilidade ou poluição dos recursos hídricos, de forma a tentar restaurar o equilíbrio entre a biodiversidade aquática e geração de renda para o produtor. Com isto, esta pesquisa aponta solução para superar a ineficiência do gerenciamento dos corpos hídricos, que tem como consequência a poluição pelo lançamento de esgotos domésticos, industriais e agroindustriais, é um fato que tem limitado a utilização dos corpos d’água, principalmente para o uso agropecuário. Os sistemas de conservação
Palavras chave: 
Poluição dos corpos hídricos
esgoto domestico tratado
agricultura