Planejamento da circulação de pedestres no espaço turístico urbano: uma análise no Centro Histórico Pelourinho

Ano: 
2008
Autor: 
Orientador: 
wcf
Resumo: 
Caminhar é o modo de transporte mais utilizado por pessoas em áreas urbanas. No entanto, o espaço turístico urbano, normalmente inadequado para a utilização do pedestre local torna-se por muitas vezes incapaz de atender as exigências mínimas do pedestre turista, gerando desconforto e vulnerabilidade à atividade turística, considerada a segunda maior economia do mundo, ocasionando prejuízos, impactos negativos ao desenvolvimento urbano e na qualidade da manutenção da infra-estrutura urbana. Este trabalho trata-se de uma investigação quanto à oferta de acessibilidade e mobilidade sustentável que é disponibilizada na Cidade do Salvador, especificamente na região histórica da cidade, o Pelourinho, na qual se conclui com um elevado número de insatisfações, reflexo do mau gerenciamento e planejamento da acessibilidade e mobilidade sustentável para o turista na região mais significativa da cidade de Salvador e principal cartão postal da Bahia que em dezembro de 1985, a região que foi declarada como Patrimônio Cultural da Humanidade, UNESCO. As más condições ofertadas para o deslocamento a pé do turista neste centro histórico, e em locais predominantemente turísticos em cidades brasileiras, dificultam a acessibilidade e a mobilidade a pé dos que precisam caminhar para realizarem suas atividades turísticas e até mesmo na obtenção de informações. A atividade turística que não consegue se auto-sustentar, ocasiona prejuízos para a cidade como um todo, pela insatisfação dos seus visitantes. Existem soluções práticas, bem definidas e capazes de melhorar o desempenho do potencial da caminhada em áreas urbanas atraindo a atividade turística para a utilização rotineira deste modo de transporte, que é o mais indicado para a região de estudo, que precisa apenas de gerenciamento e aplicabilidade de medidas corretivas no uso do espaço do pedestre, além de revitalização dos passeios.
Palavras chave: 
Acessibilidade
Turismo
Pedestre