INVESTIGAÇÃO DA PRESENÇA DE CONTAMINANTES NA ÁGUA DE CHUVA ARMAZENADA EM CISTERNAS DE POLIETILENO EM COMUNIDADES RURAIS DO MUNICÍPIO DE SÃO DOMINGOS, SEMIÁRIDO DA BAHIA.

Ano: 
2017
Orientador: 
Resumo: 
As comunidades rurais em região de Semiárido brasileiro geralmente não estão próximas a fontes seguras de água, de sorte que a captação e armazenamento de água de chuva tem sido uma técnica muito utilizada, sendo uma importante alternativa de abastecimento para a população rural. Para isso, as cisternas de polietileno vêm sendo utilizadas no Semiárido brasileiro, bem como em países com clima semelhante e temperaturas médias até mais críticas que as encontradas na região. Este trabalho avaliou a presença de contaminantes na água de chuva armazenada nas cisternas de polietileno, associados às espécies químicas presente na matriz polimérica do reservatório, como possível indicativo da ocorrência de contaminação por compostos químicos da matriz para a água. Comparou os resultados encontrados com os valores de padrões de potabilidade da água estabelecidos pela legislação vigente. Para este trabalho de pesquisa, foram investigadas amostras de água de 36 cisternas de polietileno nas comunidades de Sítio Novo e Ouro Verde, Município de São Domingos no Semiárido da Bahia. Após definidas as espécies químicas presente na matriz polimérica do polietileno, foram realizadas análises químicas na água armazenada em cisternas, quanto a alguns parâmetros químicos inorgânicos e orgânicos, utilizando técnicas cromatográficas e de espectroscópeas. Os resultados mostraram existir contaminação por substâncias do grupo dos compostos carbonílicos (aldeídos e cetonas), com valores de acroleína acima do limite de potabilidade estabelecido pela legislação brasileira, e, elementos traço, como alumínio e chumbo em amostras de água coletadas nas cisternas. Assim sendo, nas comunidades de Sítio Novo e Ouro Verde, Semiárido da Bahia, foi encontrado neste trabalho que o armazenamento de água em cisternas de polietileno apresentou condições insatisfatória para consumo humano.
Palavras chave: 
Cisterna de polietileno,
contaminação química;
abastecimento humano.