Bahia de todos os santos: Vulnerabilidades e Ameaças

Ano:
2008
Palavras chave:
Baía de Todos os Santos; vulnerabilidades; ameaças; riscos; desastres e sustentabilidade;
Resumo:
Efetuou-se um levantamento dos conceitos de desastres, riscos, vulnerabilidades, amea√ßas, capacidade e termos associados advindos de diferentes autores, comparando-os entre si. S√£o apresentados e identificados processos de gera√ß√£o de desastres ao longo do tempo, considerando-se as diversas for√ßas sociais e pol√≠ticas, concluindo-se nessa revis√£o que o desastre √© gerado ao longo do tempo. √Č descrita a situa√ß√£o de risco que se encontra no Quadrante Nordeste da Ba√≠a de Todos os Santos (QUANEBTS), cuja √°rea de estudo compreende por√ß√Ķes dos munic√≠pios de Santo Amaro, S√£o Francisco do Conde, Candeias, Sim√Ķes Filho e Salvador e todo o territ√≥rio municipal de Madre de Deus. Estende-se da foz do rio Suba√©, ao norte, at√© a Ba√≠a de Aratu, √† leste, passando pelo corpo h√≠drico da ba√≠a e pelas ilhas de Mar√©, dos Frades e de Bom Jesus dos Passos pertencentes √† Salvador. Apresentam-se tamb√©m os conceitos de bacias hidrogr√°ficas, dos processos naturais, do uso e ocupa√ß√£o do solo e as conseq√ľ√™ncias socioambientais na pessoa humana e nas comunidades e sua interfer√™ncia em situa√ß√Ķes adversas. Os dados secund√°rios foram coletados sobre os empreendimentos em documentos oficiais e s√≠tios eletr√īnicos de √≥rg√£os p√ļblicos (CEPRAM, IMA, ING√Ā, IBAMA, dentre outros), empresas (Petrobras, Brasken, CODEBA e Porto de Aratu), assim como nos planos diretores de grandes empreendimentos instalados no CIA. Os dados prim√°rios s√£o oriundos de anota√ß√Ķes elaboradas ao longo do tempo, a partir do in√≠cio da d√©cada de 1990, at√© a presente data, em diversas visitas efetuadas e pareceres redigidos em variados temas para regi√Ķes continentais e insulares da √°rea em estudo. Todos esses dados geraram uma caracteriza√ß√£o e um diagn√≥stico socioambiental. Usou-se como crit√©rio b√°sico, o levantamento de dados f√≠sicos, biol√≥gicos e antr√≥picos. Analisou-se mais profundamente a ind√ļstria do petr√≥leo e g√°s, a contamina√ß√£o de chumbo em Santo Amaro e o fen√īmeno da Mar√© Vermelha ocorrido em mar√ßo de 2007. Os riscos e seus fatores internos foram identificados nos empreendimentos e situa√ß√Ķes levantadas, aplicando-se o referencial te√≥rico desenvolvido neste trabalho. A an√°lise contemplou tamb√©m os efeitos cumulativos advindos dos processos industriais e das atividades portu√°rias. A principal conclus√£o √© a exist√™ncia de vulnerabilidades institucionais e sociais, dentre as quais se destaca a falta de inser√ß√£o do risco na cultura gerando a n√£o percep√ß√£o das amea√ßas, das vulnerabilidades, das capacidades e das a√ß√Ķes prospectivas mais conseq√ľentes. Os resultados podem servir de ponto de partida na avalia√ß√£o e interpreta√ß√£o de simula√ß√Ķes de cen√°rios futuros, com efeitos ambientais e s√≥cio- econ√īmicos a serem considerados no planejamento para o desenvolvimento desta regi√£o e outras.