AVALIAÇÃO DE EROSÃO POR IMAGENS A CURTA DISTÂNCIA.

Ano:
2018
Banca Examinadora:
Julio Cesar Pedrassoli;
Palavras chave:
Aerofotogrametria.; VANT. ; ARP.; Erosão;
Resumo:
Os solos são um recurso estratégico, não renovável, de alta importância social, econômica e ambiental, e sua erosão superficial representa um significativo problema. O estudo deste fenômeno exige medições precisas da superfície do solo. A fotogrametria digital é proposta neste trabalho como uma técnica eficaz para tais medições, no contexto da escala do estudo experimental. Este projeto de pesquisa tem como objetivo a proposição de um estudo acerca da avaliação do potencial do veículo aéreo não tripulado (VANT) ou Aeronave Remotamente Pilotada (ARP), também conhecida como RPA (Remotely Piloted Aircraft), como plataforma na obtenção de dados para monitoramento de erosão, através da elaboração de uma metodologia para monitorar processos erosivos oriundos de ravinas e voçorocas, com geração de ortofoto e um modelo digital de elevação, proporcionando condições de se executar medidas precisas de parâmetros de comprimento, área e volume para a quantificação do processo erosivo. Devido ao crescente interesse em monitorar regiões propícias à erosão, existe uma demanda crescente de utilização RPA, dado seu rápido e eficiente método de levantamento que combina a aquisição de dados com informações adicionais, como imagens orbitais e/ou terrestres, ortoimagens e modelos digitais de elevação. Os métodos empregados no estudo desta dissertação mostraram-se promissores para o monitoramento da erosão e fortalece o uso do RPA como plataforma de medição. Na primeira área de estudo foram aplicados testes em uma região de morro, para cálculo de volume positivo, e foram utilizados pontos de apoio e sinalização de marcações no solo. Com isso o valor de volume obtido com o uso de VANT obteve valores finais próximos dos valores de referência, com uso de estação total. Assim, pode-se dizer que a utilização de marcações no solo, para auxiliar na correlação de imagens, foi uma técnica que favoreceu para melhores resultados nos testes propostos para avaliar o potencial do VANT nesta situação. No levantamento com o VANT na segunda região de estudo, onde se aplicou testes em uma área de ravina, para o cálculo de volume negativo, observou-se que ocorreu uma diminuição da densidade na nuvem de pontos devido a oclusão de algumas áreas interiores da ravina, resultando em respostas aleatórias do produto final obtidos do VANT, ocasionando altas discrepâncias de volume nas comparações com os valores de referência Não sendo, assim, recomendado o uso do VANT nas situações semelhantes aos testes aplicados nesta região.