Avaliação das Propriedades Mecânicas da Argamassa Contendo Adição de Resíduo de Carbonato de Cálcio Gerado na Fabricação de Celulose

Ano:
2006
Palavras chave:
Celulose; Argamassa; Resíduo;
Resumo:
O processo industrial da madeira gera grande volume de resíduos. A lama de cal é um resíduo calcário gerado durante o processo de fabricação de celulose. Por outro lado, o consumo elevado de agregados na construção civil vem estimulando pesquisas visando o reaproveitamento de resíduos, em substituição às matérias- primas tradicionais. Este trabalho apresenta o potencial de uso da lama de cal como adição em argamassa para construção civil e mostra sua influência nas propriedades mecânicas de resistência, bem como seu comportamento ambiental e uma estimativa dos custos de reaproveitamento do resíduo em argamassa. Para isso, foi feito um estudo comparativo entre uma argamassa simples de referencia (cimento, areia e água), argamassas contendo adições de resíduo e argamassas contendo adições de cal hidratada. Neste sentido, a partir da argamassa simples de referência, foram feitas adições de resíduo nas proporções de 0%, 20%, 40%, 80% e 100% em relação à massa de cimento. Os mesmos procedimentos foram adotados para adições de cal hidratada. Foram realizados ensaios de caracterização das argamassas no seu estado plástico (consistência – NBR 7215/96; retenção de água – NBR 13277/95; massa específica e teor de ar incorporado – NBR 13278/05) e endurecido (resistência mecânica à compressão – NBR 7215/96; tração - NBR NM 8/94 e aderência - NBR -13528/95), simulando inclusive uma aplicação como revestimento. Os resultados dos ensaios no estado plástico apresentaram manuseio e aplicabilidade satisfatórios e no estado endurecido mostraram que as adições do resíduo nos teores de 20% e 80% proporcionaram ganhos de resistência mecânica à compressão de 28% e à tração de 76%, respectivamente. A resistência de aderência à tração foi considerada aceitável de acordo com a NBR 13749/96. Segundo a avaliação do comportamento ambiental (NBR 10004/04), o resíduo foi classificado como classe II-A, não inerte. No aspecto econômico, sua reutilização, para o teor de adição de 20%, mostrou-se viável quando comparada à argamassa com adição de cal hidratada, nas mesmas proporções. Portanto, a incorporação deste resíduo como adição em argamassa simples para construção civil, representa uma alternativa de reutilização do mesmo, uma vez que mostrou viabilidade técnica, econômica e ambiental.