AVALIAÇÃO DA EMISSÃO DO MATERIAL PARTICULADO PROVENIENTE DE CANTEIROS DE OBRAS HABITACIONAIS NA FASE DE ESTRUTURAS E ALVENARIA

Ano: 
2015
Orientador: 
Resumo: 
A indústria da construção civil é uma das principais causadoras de impactos no meio ambiente, durante toda a fase da obra. Um dos impactos gerados que merece atenção especial dos pesquisadores é a poluição do ar por emissão de material particulado, devido aos impactos e incômodos causados tanto na saúde do trabalhador, quanto na vizinhança da obra. Entretanto poucos são os estudos específicos que identificam e quantificam as poeiras existentes nesses ambientes, bem como não existem parâmetros e limites nacionais para este tipo de emissão. A legislação brasileira não estabelece padrões de qualidade do ar levando em consideração a fonte geradora canteiro de obra, nem tampouco a composição química dos materiais gerados, levando apenas em consideração a concentração em termos de massa o que pode representar um risco potencial tóxico significante. O presente trabalho teve como objetivo determinar a concentração de material particulado proveniente dos canteiros de obras estudados, na fase de obra bruta, nas frações PTS e PM10, bem como os elementos químicos que fazem parte da composição deste material. Buscou-se ainda avaliar comparativamente as concentrações do material particulado obtidas nos quatro canteiros de obra estudados, além do canteiro adotado como referência pesquisado por Araújo (2014), identificando os fatores meteorológicos que influenciaram na variação da concentração, a existência de atividades construtivas potencialmente geradoras de material particulado, além de avaliar a correlação entre os diferentes métodos de coleta adotados. O estudo experimental foi desenvolvido em quatro canteiros de obras habitacionais que não utilizaram as boas práticas para minimização das emissões de material particulado e impactos na vizinhança das obras, durante no mínimo 11 dias de trabalho nos canteiros e um dia de obra parada (Domingo), durante 8 horas diárias. Para coleta do material particulado e determinação das concentrações foram utilizados os amostradores MiniVols e para coleta da poeira sedimentável, os adesivos sticky pads, além de uma estação meteorológica portátil para determinação das variáveis meteorológicas. Para caracterização das amostras foi realizada a análise física de gravimetria e a análise química de Raio-X. As amostras do sticky pads foram submetidas a análise de Refletância. Foi realizada uma análise comparativa dos níveis de emissão dos quatro canteiros estudados com o canteiro referência, em função das variáveis meteorológicas obtidas em cada dia, das principais atividades construtivas desenvolvidas no período de coleta e da composição química das amostras. A principal contribuição deste estudo é o melhor entendimento do comportamento do material particulado em canteiros de obra, sua composição, as variáveis meteorológicas e as atividades construtivas que mais influenciaram na sua concentração e os fatores que interferem nos resultados da coleta. Este estudo contribui ainda com a formação de futuras bases de dados de emissão de material particulado em canteiros de obra, que é fundamental para identificação de futuros parâmetros ou faixas de valores que determinem se o canteiro apresenta alto grau de emissão de material particulado, bem como possibilitem avaliar as soluções mais adequadas para mitigação desta emissão durante as diferentes fases de execução da obra.
Palavras chave: 
Poluição Atmosférica,
Material Particulado,
Canteiros de obras.