ANÁLISE COMPARATIVA DO USO DA ESTATÍSTICA CLÁSSICA E A GEOESTATÍSTICA NA ESPACIALIZAÇÃO DA REGIÃO SEMI-ÁRIDA

Ano: 
2008
Autor: 
Orientador: 
Co-orientador: 
Resumo: 
Este trabalho propõe a análise comparativa da espacialização da chuva de acordo com método de estatística clássica (Polígonos de Thiessen) e geoestatístico (Krigagem Ordinária) visando sua utilização na regionalização de informações hidrometeorológicas, em região semi-árida. As metodologias foram aplicadas a região semi-árida da bacia do rio São Francisco, utilizada como estudo de caso. As séries de precipitação, obtidas de forma secundária, foram divididas em dois períodos: úmido que corresponde aos meses de novembro, dezembro, janeiro, fevereiro, março e abril; e seco, que corresponde aos meses de maio, junho, julho, agosto, setembro e outubro. O total de estações obtidas para análise foi de 231 estações pluviométrica no período base está de novembro de 1968 a outubro de 1983. Das 231 estações selecionadas 31 foram retiradas da interpolação, através de seleção aleatória, para que a comparação pudesse ser realizada. A estatística utilizada para comparar os dois métodos foi a soma de quadrado dos erros (SQE), ou seja, a diferença ao quadrado dos valores reais das 31 estações e suas respectivas estimativas realizadas pelos métodos dos polígonos de Thiessen e da krigagem ordinária. Comparando-se as SQE obtidas pelos métodos dos polígonos de Thiessen e Krigagem Ordinária vê-se que para o período úmido a SQE é de 12.497 para os polígonos de Thiessen, e de 10.750 para Krigagem Ordinária; enquanto que para o período seco a SQE é de 745 para os polígonos de Thiessen e 469 para a Krigagem Ordinária. Os métodos de interpolação geoestatístico (krigagem ordinária) se mostrou mais preciso em relação ao de estatística clássica (polígonos de Thiessen).
Palavras chave: 
semi-árido
krigagem ordinária
polígonos de Thiessen
Arquivo: