Apresentação de Seminário de Pesquisa: DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PLANO DE MOBILIDADE NA ESCALA LOCAL: PROPOSTA METODOLÓGICA

Local:
CETRAMA, DETG EP UFBa

Data :
08/16/2016 - 10:00

Resumo:

Atualmente é um grande desafio em elaborar um plano de mobilidade na escala de bairros e promover acessibilidade sob o foco das características específicas de cada cidade. No Brasil, por exemplo, os planos de que vem sendo elaborados seguem o modelo tradicional que é geral para todas as cidades. Esta problemática gera impactos na acessibilidade das pessoas, especialmente para os pedestres. Esses impactos podem ser de aspectos sociais, econômicos, ambientais e ergonômicos. No obstante, outros desafios é promover acessibilidade com equidade, reduzir os impactos socieconômicos e ergonômicos, elevar a qualidade de vida, saúde e segurança dos citadinos. Esta situação induz a pensar em soluções que correspondam às características geográficas da cidade. Portanto, o objetivo principal deste estudo é desenvolver uma proposta metodológica para elaboração de planos de mobilidade urbana na escala de bairros em cidades do terceiro mundo disponibilizando diretrizes para esse fim. Para isto, a metodologia baseia-se em teorias que e consiste, essencialmente, em avaliar o Estado da Arte com abordagem de questões relacionadas à elaboração de Planos de Mobilidade urbana, com foco na escala local; Identificar e/ou criar diretrizes para Planos de Mobilidade na escala de Bairro considerando as características geográficas, sociais, tecnológicas, políticas, dentre outras, em Cidades do Terceiro Mundo, tomando o caso de Salvador. O enfoque teórico também consiste em analisar os princípios da mobilidade sustentável: integração modal, prioridade para os transportes públicos e não motorizados, utilização de meios de transporte que agridam menos o meio ambiente, dentre outros. Uma nova lógica de planejamento, focando nestes elementos, contribui para promover melhor acessibilidade nos bairros e superar os impactos negativos gerados pelos condicionantes da mobilidade urbana. Se adequando nos princípios da Mobilidade Sustentável. Este enfoque contribuirá na identificação e/ou elaboração das diretrizes. O estudo justifica-se na questão que toda cidade tem seu perfil singular e não possui as mesmas características geográficas, sociais, tecnológicas, políticas, dentre outras. Se uma cidade é diferente e seus bairros também são distintos, no entanto, não se pode ter o mesmo plano. Um plano de mobilidade que não leve em consideração estas singularidades gera mais impactos e atritos. Existem diversas diretrizes para planos de mobilidade voltados para cidades de forma geral, mas o mesmo não acontece para escala de bairros. Ao elaborar um plano de mobilidade na escala local deve-se pensar e criar diretrizes que considerem as variáveis socioeconômicas, o perfil geral dos residentes locais e transeuntes, bem como as características referentes ao estilo de vida e as reais necessidades das pessoas que moram e circulam no bairro. No caso dessa elaboração ter foco nas características morfológicas e urbanas; deve-se pensar em diretrizes que se refiram aos impactos que esse sítio oferece na mobilidade; estrutura e meios de transporte adequados, diversificados e integrados. Deste modo, promover melhor acessibilidade na cidade.

Palavras-Chave: Diretrizes. Plano de Mobilidade Local. Relevo. Salvador.