Apresentação de Seminário de Pesquisa: COMPARAÇÃO DE MÉTODOS PARA COMUNICAÇÃO DA QUALIDADE DE ÁGUA DE BACIAS HIDROGRÁFICAS. ESTUDO DE CASO: BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO JOANES.

Local:
Auditorio José Lourenço Costa

Data :
08/16/2013 - 11:00

Resumo:

O "Programa Monitora” desenvolvido pelo Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (INEMA) do Estado da Bahia  avaliou a evolução espacial e temporal da qualidade das águas de bacias hidrográficas do Estado, para os diferentes usos. No âmbito da Região de Planejamento Gestão das Águas (RPGA) do Recôncavo Norte, foi avaliada a qualidade das águas da bacia do rio Joanes, analisando vários parâmetros indicadores das características: físico-químicas; nutrientes; parâmetros biológicos; orgânicos; metais e pesticidas, perfazendo, em média, cinquenta parâmetros. A coleta e análise das amostras foram realizadas pela Área de Meio Ambiente (AMA) do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI/CETIND) da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB).

Para apresentação dos resultados da qualidade da água ao público, o Programa Monitora utilizou índices de qualidade de uso consagrado no Brasil, tais como: Índice de Qualidade de Água (IQA-CETESB), Índice de Qualidade da Água Bruta para Fins de Abastecimento Público (IAP), Índice de Contaminação por Tóxicos (CT) e Índice do Estado Trófico (IET). Os índices visam facilitar a compreensão do público em geral, sobre o estado do corpo d’água monitorado, através da agregação de vários parâmetros em um único resultado, representado pelo respectivo índice. Uma das características de todos os índices utilizados pelo programa Monitora é a quantidade limitada de parâmetros que são utilizados. Do valor médio de 61 parâmetros monitorados, somente 30 foram utilizados na avaliação da qualidade através dos índices, com perda de informação sobre a qualidade da água.

Este trabalho vem utilizando o método de cálculo do IQA-CCME para avaliação da qualidade da água, desenvolvido pelo Canadian Council of Ministers of the Environment - CCME, que desponta como uma nova proposta de agregação, que parece superior, pois o índice utiliza todos os parâmetros que foram efetivamente medidos e julgados necessários para se definir a qualidade do corpo hídrico.

O objetivo é comparar o índice de qualidade gerado para as águas do Rio Joanes, com os índices clássicos utilizados pelo “Programa Monitora” verificando a adequação do novo método. Também pretende avaliar o plano de monitoramento executado, e os parâmetros escolhidos para monitoramento, face ao uso de solo da bacia do rio Joanes.

Devido a flexibilidade da metodologia do IQA-CCME, pois não impõe restrição quanto ao número ou, quais parâmetros devem ser medidos, esta metodologia pode contribuir para maior eficiência no planejamento do monitoramento de um corpo hídrico, com consequente redução de gastos. Entretanto, por ser um procedimento estatístico, que exige a execução de no mínimo quatro campanhas, o método não permite a avaliação de qualidade das águas de um rio ao se executar somente uma campanha, o que pode representar uma limitação.