Apresentação de Seminário de Pesquisa: AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA À CORROSÃO DE ARMADURAS GALVANIZADAS REVESTIDAS COM OXALATO DE ZINCO E SUB-METIDAS À AÇÃO DE CLORETOS EM MEIO ALCALINO

Local:
Online

Data :
02/18/2021 - 09:00

Resumo:

A corrosão em armaduras, é uma das principais patologias observadas em estruturas de concreto armado, sendo causa de comprometimento estrutural e altos custos devido à manutenção, reparo e/ou substituição de seus componentes, além de desconforto para os usuários. O processo corrosivo é intensificado e a vida útil da estrutura diminuída se esse ambiente for rico em íons cloro, com o aparecimento da forma mais perigosa de corrosão, a ocorrência de pites. Os íons cloro são um dos agentes que provocam a ruptura do filme passivo presente na superfície das armaduras. Nesses casos, recomenda-se a utilização de métodos de proteção para o aumento da durabilidade do concreto armado, dentre os quais estão os revestimentos protetores para o concreto ou para a armadura, sendo a galvanização, que utiliza revestimentos à base de zinco, uma excelente alternativa. Os tratamentos de superfície consistem na formação de uma camada protetora com a criação de uma interface entre o meio corrosivo e as superfícies metálicas. Para uma maior proteção contra corrosão e aumento da vida útil do material revestido por zinco, é comum a utilização de tratamentos de superfície, como as soluções de conversão contendo cromo hexavalente (Cr6+ ou Cr VI). No entanto, diversos estudos têm mostrado que o Cr VI é tóxico, altamente cancerígeno, tornando necessário o desenvolvimento de revestimentos alternativos que, além de proporcionar boa resistência à corrosão, não apresentem toxicidade, entre eles as  soluções contendo ácidos dicarboxílicos (revestimentos orgânicos), que têm se mostrado uma excelente opção para o aumento da proteção contra a corrosão por serem eficientes, simples e com custos inferiores aos tratamentos usuais. Por isso, este trabalho tem por objetivo avaliar a eficiência do revestimento de oxalato de zinco na na resistência a corrosão frente a cloretos em armaduras de concreto armado. Em adição aos trabalhos que investigam a eficiência do tratamento com ácido oxálico em meios com pHs neutros ou ácidos, este trabalho apresenta o estudo do comportamento desse tratamento sobre peças galvanizadasquanto à resistência à corrosão quando expostasa um meio alcalino de pH igual a 13. Serão avaliadas como as distintascondições de superfície auxiliam no aumento da proteção superficial das armaduras e qual a influência deste fator no teor crítico de cloretos. Para o estudo da morfologia e a composição mineralógica da camada depositadaserão utilizadas as técnicas de microscopia eletrônica de varredura (MEV/EDS) e difração de raios-X (DRX), a caracterização química será realizada por meio de Espectroscopia de Infravermelho por Transformada de Fourier (FTIR) e Espectroscopia fotoeletrônica de raios-X (XPS). Além dos ensaios acelerados em câmera de névoa salina, ensaios eletroquímicos, ensaios acelerados para indução de corrosão desencadeada por cloretos e a utilização de técnicas de monitoramento e previsão da corrosão das armaduras e de avaliação da qualidade do concreto serão utilizados.

 

Palavras-chave: corrosão; eletrodeposição; teor crítico de cloretos; armaduras; tratamentos de conversão