Apresentação de Seminário de Pesquisa: Análise do comportamento mecânico e da modelagem do compósito solo-fibra

Local:
Vídeo conferência

Data :
11/23/2020 - 16:00

Resumo:

A inclusão de fibras como reforço de solos, não é uma tecnologia recente, há muitos anos utilizam-se fibras vegetais como reforços dos solos. Hoje, a técnica está melhor estabelecida incluindo o emprego fibras artificiais de materiais mais resistentes como as fibras poliméricas, por exemplo. O emprego desses materiais se tornam vantajosos por apresentar uma solução de tratamento \textit{in situ}, sem a necessidade de realizar grandes movimentos de terra para substituição do solo local, excluindo a realização de bota fora e extração de solo para substituição, além da minimização do tráfego de veículos. As fibras ainda em alguns casos apresentam uma solução mais econômica do que outro tipo de estabilização química ou física. A técnica de reforço de matrizes com fibras encontra-se cada vez mais inserida em pesquisas científicas devido ao grande número de possibilidade de novos materiais compósitos em densenvolvimento. Com isso, a necessidade da compreensão da interação solo/fibra e do seu comportamento mecânico, físico é essencial para a aplicação prática. Sendo assim, o objetivo do presente trabalho é analisar o efeito das inclusões das fibras no comportamento mecânico do material e avaliar a capacidade preditiva do modelo \citeonline{Machado2002}  desenvolvido para resíduos sólidos urbanos, ainda que com adaptações. O solo escolhido é uma areia de duna (uniforme) que será empregada para confecção de corpos de prova com diâmetro de 10 cm e altura de 20 cm, compactados com densidade relativa de 60\%, sem fibras e com fibras de polipropileno com diferentes comprimentos (12,5, 25 e 51 mm) e teores (0,5, 1,0 e 1,5\%). Ensaios de compressão triaxial CD, em quatro confinantes (50, 100, 200 e 400 kPa) e em duplicatas estão sendo executados. Os reultados parciais obtidos mostram que há um aumento na resistência ao cisalhamento do solo com a inclusão de fibra, essencialmente para as maiores tensões confinates e as simulações iniciais com o modelo modificado de \citeonline{Machado2002} apresentam boa capacidade de predição da curva tensão deformação e limitação na predição da variação volumétrica.