Apresentação de Projeto de Pesquisa: Sensoriamento Remoto aplicado ao estudo da dinâmica ecológica e econômica que envolve a conservação do licuri (Syagrus coronata) e da arara-azul-de-lear (Anodorhynchus leari) para o desenvolvimento sustentável das com

Local:
MEAU, oitavo andar

Data :
12/19/2014 - 14:00

Resumo:

Os avanços tecnológicos na área de Sensoriamento Remoto (SR) nos últimos anos têm possibilitado a aquisição de informações mais precisas e detalhadas. Um exemplo desse avanço é a classificação baseada em análise orientada a objetos. No entanto, a inexistência de metodologia para identificação por SR de unidade de indivíduo do licuri (Syagrus coronata) que desempenha importante papel na dinâmica que envolve o  homem e a arara-azul-de-lear (Anodorhynchus leari) . O presente trabalho pretende realizar um estudo espaço-temporal por SR das ocupações das aglomerações humana no entorno da Estação Ecológica Raso da Catarina - EERC e um amplo estudo que pretende identificar o S, coronata e áreas de plantação de milho, a fim de contribuir com o equilíbrio da dinâmica ecológica e econômica que envolve a conservação da A. leari e o desenvolvimento sustentável das comunidades locais. A EERC é uma Unidade de Conservação federal de proteção integral, localizada entre os paralelos 9° 33’ 13” S e 9° 54’ 30” S e meridianos 38° 26’ 50” W a 38° 44’ 00” W, nos municípios de Jeremoabo, Paulo Afonso e Rodelas, no estado da Bahia, Brasil. A região é de extrema importância biológica, sua vegetação natural predominante é de Caatinga com vegetação mais incidente do tipo arbustiva densa, onde existem várias espécies de ocorrência endêmicas e ameaçadas de extinção. Os estudos da evolução e avanço das aglomerações humana na Estação Ecológica Raso da Catarina serão realizadas a partir de imagens de alta resolução espacial para um período de 10 anos; para identificação do S. coronata por SR serão utilizadas imagens de satélite de alta resolução, referentes a área de estudo. As imagens georreferenciadas serão incorporadas ao banco de dados geográfico no SIG, para identificação dos indivíduos da palmeira a ser realizado em duas fases: interpretação visual e processamento digital da imagem. A partir da análise multitemporal será possível identificar e compreender a evolução do uso e ocupação do solo, permitindo a interpretação espaço-temporal da evolução de cada classe de uso e as implicações desta evolução. Espera-se que o uso dessa técnica possa contribuir para o planejamento de forma sustentável dessa região, como também o monitoramento e conservação do bioma Caatinga.